Carregando Pesquisa
YouTube Facebook Twitter
Apostilas Artigos Tutoriais Aulas Blog Ferramentas de Rede Fórum Downloads Colabore Fale Conosco
» tutoriais
:: Sistemas Estruturados em Redes de Computadores - 2ª Parte

José Mauricio dos Santos Pinheiro em 06/01/2005

 

Vantagens da utilização do Sistema de Cabeamento Estruturado

O Sistema de Cabeamento Estruturado surgiu com o objetivo de atender a duas necessidades básicas:

Mudanças de Layout

A maior parte das empresas passam freqüentemente por mudanças de layout durante o decorrer do tempo. Pesquisas do exterior demonstram que cerca de 25% dos funcionários sofrem mudanças de local dentro das empresas no prazo de 1 ano. O Sistema de Cabeamento Estruturado possibilita que esta mudança ocorra de maneira bastante flexível visto que a tomada modular de oito posições (RJ-45) não é proprietária. Assim como podemos ligar um microcomputador, uma televisão ou um forno de microondas em uma tomada elétrica, podemos ligar um telefone ou monitor de CFTV (Circuito Fechado de TV) em um ponto do Sistema de Cabeamento Estruturado.

Existem duas arquiteturas básicas para atender às necessidades de mudanças de lay-out: Método Tradicional e Zone Wiring.

 

Na arquitetura do Método Tradicional os cabos UTP interligam diretamente os Hardwares de Conexão (Patch Panels ou Blocos 110) localizados no Armário de Telecomunicações ou na Sala de Equipamentos às tomadas localizadas na Área de Trabalho. Esta arquitetura é normalmente a mais utilizada e muito flexível.

Existem outros casos nos quais além dos usuários e seus equipamentos mudarem de local as divisórias e baias também mudam, sendo que nestes casos é mais indicada a utilização da arquitetura Zone Wiring. Nesta arquitetura existe um ponto intermediário (CP - Consolidation Point) entre o Armário de Telecomunicações ou a Sala de Equipamentos e as tomadas localizadas na Área de Trabalho do usuário.

Mudanças de aplicações

Uma conseqüência das mundanças de layout são as mudanças de aplicações, ou seja, quando um usuário muda de local ele leva consigo seus equipamentos de uso tais como: microcomputador, telefone, entre outros. Como mencionado, a tomada modular de oito posições (Registered Jack 45 - RJ-45) é padronizada em normas e permite estas mudanças com bastante facilidade. Entretanto quando nós falamos de tecnologias de Redes Locais o Sistema de Cabeamento Estruturado deve também suportar aplicações de alta performance.

Conclusão

A estruturação das redes de computadores dentro do contexto das telecomunicações é um passo importante para que estas possam responder de forma rápida e eficaz às solicitações cada vez maiores de recursos de comunicação e, dentro dessa realidade, os sistemas estruturados destacam-se como uma solução economicamente viável e tecnicamente eficaz.

A instalação de uma rede de computadores deve envolver a participação do usuário e dos responsáveis pela integração dos sistemas. Normalmente os projetistas de redes são os responsáveis pela elaboração de todo o projeto físico, projeto lógico, pelo fornecimento dos equipamentos e acessórios e pelo seu funcionamento, envolvendo também os distribuidores, fornecedores e demais prestadores de serviços, testes e documentação.

Um projeto de infra-estrutura utilizando cabeamento estruturado irá depender de vários fatores que envolvem desde o padrão de rede adotado, a limitação das distâncias impostas pelos protocolos da rede, a escolha correta do tipo de cabeamento para do tipo de fibra, que irá implicar na escolha dos dispositivos eletrônicos e conectorização e dos resultados financeiros esperados para o investimento.

Embora os custos adicionais de projeto e alguns problemas técnicos ainda dificultem uma maior utilização dos cabos ópticos em comparação com os cabos metálicos convencionais, as fibras ópticas em determinadas aplicações apresentam-se como uma eficiente alternativa de meio de transmissão em redes locais de computadores, tanto que nos últimos anos a fibra tem sido largamente utilizada como parte integrante dos projetos de sistemas de cabeamento estruturado, principalmente na execução dos backbones, onde normalmente são necessárias mídias capazes de permitir a transmissão de sinais em distâncias maiores ou em locais com problemas de interferência eletromagnética (EMI).

Imprima este artigo

José Maurício Santos Pinheiro
Professor Universitário, Projetista e Gestor de Redes, 
membro da BICSI, Aureside, IEC e autor dos livros
 
· Guia Completo de Cabeamento de Redes - (Editora Campus) ·
· Cabeamento Óptico - (Editora Campus) ·

E-mail: jm.pinheiro@projetoderedes.com.br

© www.projetoderedes.com.br - Termos e Condições de Uso