carregando Pesquisa
Estamos nas Redes Sociais: Facebook Twitter
Apostilas Vídeos Artigos Aulas Tutoriais Notícias Testes On-Line Fórum Glossário Downloads Blog Colabore Fale Conosco
Compartilhe:

Projeto de Redes
está hospedado em: metrored.com.br

Glossário

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z 

A

Acesso Remoto

Habilidade de conexão com uma rede à distância.

ACK (ACKNOWLEDGEMENT)

Corresponde a uma mensagem que confirma a recepção do pacote transmitido.

ACOPLADOR DIRECIONAL

Dispositivo CATV utilizado em redes coaxiais dividindo o sinal de entrada desigualmente por duas saídas. (Ingl. Directional Coupler)

ADAPTADOR DE TERMINAL

Equipamento usado para ligar um TE2 (equipamento não RDIS) ao NT (RDIS). É comum designar este equipamento pela abreviatura TA. Conforme o tipo de TE2, existem vários tipos de TA, tais como TA V.24, TA X.21, TA V.35, TA a/b, etc. Por exemplo para ligar um equipamento analógico (telefone, fax, modem, etc.) à RDIS é usado um TA a/b. (Ingl. TA-Terminal Adapter)
ADM (Add Drop Multiplexor ou Multiplexador de Inserção/Derivação)
Multiplexador que insere ou deriva tráfego em um ponto intermediário de uma rota de transmissão.

ADPCM (Adaptive Differential Pulse-Code Modulation)

Sistema de codificação analógico-digital que funciona em taxas de bits mais baixas que PCM regular mas ainda preserva a qualidade do sinal original.
ADSL (Asymmetrical Digital Subscriber Line ou Linha de Assinante Digital Assimétrica)
Uma linha telefônica com taxas de transmissão diferentes nos dois sentidos; num sentido a velocidade chega a 640 kbps e no outro, a 1544 kbps ou mais.
ADSU (ATM Data Service Unit)
Dispositivo DCE usado como interface de um circuito ATM.
ADTF (ACR Decrease Time Factor)
No ATM, o tempo permitido entre células RM antes que ACR seja acrescido para ICR. A taxe é de 0,01 a 10,23 segundos em intervalos de 10 milissegundos.
AFI ( Authority and Format Identifier)
No ATM, é a parte do endereço em formato NSAP que identifica o formato e o tipo de porção IDI do mesmo endereço.
AFNOR (ASSOCIATION FRANCAISE DE NORMALISATION)
Organismo encarregado de centralizar e de coordenar, em França, as atividades de normalização.
agente
Um programa de computador ou processo que opera sobre uma aplicação cliente ou servidor e realiza uma função específica, como uma troca de informações.
agregado
Linha ou circuito pelo qual trafegam dados multiplexados ou concentrados.
Algoritmo
Uma expressão lógica que resolve uma fórmula matemática complexa ou instruções de um programa. Usado como "chaves" para criptografia de dados.
alias
Significa segundo nome ou apelido. Pode referenciar um endereço eletrônico alternativo de uma pessoa ou grupo de pessoas, ou um segundo nome de uma máquina. É também um dos comandos básicos do UNIX.
ALTA FREQÜÊNCIA

Expressão que designa uma freqüência superior às freqüências vocais. Em sentido restrito, corresponde às freqüências compreendidas em bandas de 3 a 30 MHz (ondas decamétricas). (Ingl. High Frequency)
AMI (AMPLITUDE MARK INVERSION)
Código de linha bipolar caracterizado pela alternância da polaridade dos impulsos representativos dos "0" e representando os "1" com tensão nula. Este código é utilizado, por exemplo, nos acessos RDIS, nos pontos de referência S e T. Os níveis de tensão dos "0" são +750 mV e -750 mV.
AMPLITUDE
1) Valor máximo que alcança uma magnitude variável como por exemplo uma corrente alternada.  2) Nível de um sinal (tensão ou corrente). (Ingl. Amplitude)
AMPLITUDE DE BANDA
Extensão de uma banda de freqüências, ou seja, a diferença entre a freqüência mais alta e a mais baixa de um sinal de transmissão utilizada para transmitir voz, dados e informações de vídeo, geralmente expressa em kilohertz ou Megahertz. 
analógico
Modo de transmissão no qual os dados são representados por um sinal elétrico variando continuamente, transmitido por linhas telefônicas comuns.
anonymous
Nome normalmente utilizado para login num servidor FTP, e indica tratar-se de um usuário anônimo, ou seja, não cadastrado na máquina em questão. A password a fornecer em seguida deve ser o e-mail do usuário. Em geral usuários anônimos têm acesso apenas a alguns arquivos do servidor e não são todos os servidores que permitem o acesso.
ANSI (American National Standards Institute)

Uma organização independente, sem fins lucrativos afiliada à ISO e que é a principal organização norte-americana envolvida na definição de padrões (normas técnicas) básicos como o ASCII.
Anúncio
Num roteador, é o envio das informações de roteamento e serviço atualizado periodicamente a outros roteadores da rede.
Apache
Servidor web usado principalmente no Linux. Também possui uma versão Windows, que poder ser usada em substituição ao IIS da Microsoft.
API ( Application Program Interface)

Linguagem e formato de mensagens usado por um aplicativo para se comunicar com o sistema operacional ou outro programa do sistema.

aplicação

Programa que faz uso de serviços de rede tais como transferência de arquivos, login remoto e correio eletrônico.

AppleTalk

Uma arquitetura de rede local da Apple que suporta o método de acesso proprietário AppleTalk bem como Ethetnet e Token Ring.

Archie (ARCHIvE)
Um serviço de busca de arquivos armazenados em FTP anônimo. Pouco disseminado no Brasil.
ARP (ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL)
É um protocolo do TPC/IP usado para resolver os endereços da rede local através do mapeamento do endereço físico (endereço MAC) para o endereço IP.
ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network). 

Rede de longa distância criada em 1969 pela Advanced Research Projects Agency (ARPA, atualmente Defense Advanced Projects Research Agency, ou DARPA) em consórcio com as principais universidades e centros de pesquisa dos EUA, com o objetivo específico de investigar a utilidade da comunicação de dados em alta velocidade para fins militares. É conhecida como a rede-mãe da Internet de hoje e foi colocada fora de operação em 1990, posto que estruturas alternativas de redes já cumpriam seu papel nos EUA.
arquitetura aberta
Arquitetura compatível com hardware e software de muitos fabricantes.
ASE
Accredited Systems Engineer, certificação HP oferecida aos técnicos de hardware que se tornaram especialistas nas máquinas da empresa 
ASCII (American Standard Code for Information Interchange)

Pronunciado como "ásqui". Trata-se de um esquema de codificação que atribui valores numéricos às letras do alfabeto, números, sinais de pontuação e alguns símbolos especiais para ser usado em computadores e dispositivos de armazenamento eletrônico de dados.
ASIC (APPLICATION SPECIFIC INTEGRATED CIRCUIT)

Microchip desenhado e fabricado para satisfazer necessidades específicas de um cliente. Também é chamado "microchip por medida". (Port. Circuito Integrado de Aplicação Específica)
assinatura
1. Um arquivo (tipicamente de três ou quatro linhas) que as pessoas inserem no fim de suas mensagens;  2. Ato de subscrever uma lista de discussão ou newsgroup; 3. Informação que autentica uma mensagem.
assíncrono
Diz-se do equipamento ou da transmissão de dados na qual os caracteres transmitidos são enviados sem relógio de sincronismo entre o transmissor e o receptor. Cada caracter é uma unidade autônoma com seu próprio bit de parada e de início, usados para sincronizar o relógio interno do receptor.
ATBN (ALL TRUNK BUSY NUMBER)
Número de ocorrências de ocupação simultânea, de todas as junções, num dado intervalo de tempo de análise do comportamento do feixe.
ATBT (ALL TRUNK BUSY TIME)
Tempo de ocupação de todas as junções (referidas a dado feixe ou dado destino, em geral).
ATD (ASYNCHRONOUS TIME DIVISION)
Técnica de multiplexagem temporal baseada na transmissão de blocos de informação de comprimento fixo (células) com identificação por cabeçalho.
ATDM (ASYNCRONOUS TIME-DIVISION MULTIPLEXING)
É um sistema assíncrono TDM onde os time slots são atribuídos dinamicamente aos usuários conforme solicitado.
ATENUAÇÃO
Enfraquecimento de um sinal à medida que se afasta do seu ponto de origem. A atenuação é medida em decibéis e pode ser um efeito indesejável nos casos em que um sinal transmitido ao longo de um cabo muito extenso perde a intensidade. Nas redes locais, a atenuação é corrigida com o uso de um dispositivo repetidor, que amplifica e limpa o sinal recebido antes de retransmiti-lo para os próximos nós. O controle de volume do rádio é um exemplo de atenuador. (Ingl. Attenuation)

ATM (Asynchronous Transfer Mode)

Uma tencnologia de comunicação de células capaz de processar dados, voz e vídeo em tempo real. O ATM é definido no padrão ISDN Broadband ( RDSI de Faixa Larga) e proporciona largura de banda sob demanda, tarifando os usuários pela quantidade de dados enviados. A taxa de dados é expansível, começando com 2 Mbps com velocidades intermediárias de 25, 51 e 100 Mbps até 155 ou 622 Mbps indo à faixa dos gigabits. ATMM (ATM Management)

Programa em switch ATM que controla as taxas de transmissão e a conversão VCI.
AUDÍMETRO
Equipamento destinado a medir e transmitir dados de audiência em receptores de rádio e TV.
AUDIOFREQÜÊNCIA
Freqüência que é detectada pelo ouvido humano (15 Hz - 20 kHz). (Ingl. Audio Frequency)
AUI(Attachment Unit Interface)
Interface de rede usada na Ethernet com coaxial grosso; é um conector de 15 pinos.
autosensing
Ajuste automático em condições de operação diferentes. Por exemplo, uma fonte de alimentação autosensing consegue fornecer alimentação adequada que esteja conectada em 115 ou 230 VCA.

B

backbone

A interconexão central de uma rede internet. Pode ser entendido como uma espinha dorsal de conexões que interliga pontos distribuídos de uma rede, formando uma grande via por onde trafegam informações.
backplane
A parte traseira do chassi de um equipamento onde estão localizados os conectores, cabos e componentes inseridos.
balun (BALanced UNnbalanced)
Dispositivo que conecta uma linha banceada, tal como um par trançado, a uma linha desbalanceada, tal como cabo coaxial.
banda base
transmissão em que os sinais digitais trafegam sem mudança em sua miodulação ou usa a largura de banda total do canal.
baud rate
Medida de taxa de transmissão elétrica de dados em uma linha de comunicação. Mede o número de sinais elétricos transmitidos por unidade de tempo.
BBS
Bulletin Board System é um sistema que, tipicamente, oferece serviços de correio eletrônico, repositório de arquivos (de programas, dados ou imagens) e outros serviços tais como conversação on-line. Seus assinantes, usualmente, obtém acesso através de linhas telefônicas (isto é, de voz) utilizadas via computador pessoal e modem.
BERT/BLERT (Bit Error Rate Test/Block Error Rate Test)
Teste em que mede a quantidade das transmissões de dados comparando os dados recebidos com um padrão de dados estabelecido e então contando o número de erros. As medidas são feitas com bits ou blocos.
bidirecional
habilidade de transferir ou transmitir em embas direções.
BIOS (Basic Input/Output)
Memória que contém instruções detalhadas de um programa dirigido ao hardware.
bit ( Binary DgIT)
a menor unidade de informação em um sistema binário; um estado zero ou um. Transistor ou capacitor de uma célula de memória. Ponto magnético em um disco ou fita.
BITNET (Because It's Time Network)
Rede de computadores formada em maio de 1981 para interconectar instituições educacionais e de pesquisa, fazendo uso de um protocolo chamado RSCS (Remote Spooling Communication System). Teve seu tráfego encerrado em 1996.
Bluetooth
Uma tecnologia de rede wireless de pequena distância.
bps
Uma medida da taxa de transferência real de dados de uma linha de comunicação. É dada em bits por segundo. Variantes ou derivativos importantes incluem Kbps (= 1.000 bps) e Mbps (= 1.000.000 bps). Ver também: baud rate
bridge
Um dispositivo que conecta duas ou mais redes de computadores transferindo, seletivamente, dados entre ambas.Ver também: repetidor
Broadcast
É o tipo de transmissão caracterizada pelo envio dos dados para todos os elementos da rede de comunicação ou de computadores.
browser
O browser é um cliente para extração de informação em um servidor Web ou gopher. Tipicamente, um browser será um programa em um computador pessoal que acessará, através de uma linha telefônica, um servidor (isto é, um programa que atende a demanda de clientes remotos) contendo informações de interesse amplo. Ver também: cliente, servidor, Gopher, Mosaic, Web

C

CCITT

Acrônimo de Comité Consultatif Internationale de Telegraphie et Telephonie, um órgão da International Telecommunications Union (ITU) das Nações Unidas que define padrões de telecomunicações. (Em 1993, foi extinto e suas atribuições passaram para o ITU-TSS, Telecommunications Standards Section da ITU.)
CCIE
Cisco Certified Internetwork Expert, certificação da CISCO que forma especialistas em administração de redes. É um dos títulos masi cobiçados do mercado, indicado para profissionais com larga experiência na área de redes.  
CCNA
Cisco Certified Network Associate, Grau mais baixo na hierarquia de certificações da CISCO. Forma especialistas em redes em início de carreira. 
CDMA
O Code Division Multiple Access, ou acesso múltiplo por divisão de código, é um dos padrões utilizados nas redes digitais de telefonia móvel. O CDMA usa uma técnica de espelhamento espectral para a utilização de toda a largura de transmissão. Assim, uma grande número de pessoas acessa simultaneamente um único canal da antena celular sem que haja interferência. 
CDMA 1X
Também conhecida com 1XRTT, ou Single Carrier (1X) Radio Transmission Tecnology. Solução que agrega à transmissão de dados por pacote nas redes CDMA a uma velocidade nominal de 144 Kbps. Na prática ela alcansa a casa dos 70 Kbps
CELL RELAY
Mecanismo de comutação de pacotes cuja unidade com tamanho fixo é denominada de célula. A tecnologia ATM é um exemplo de ambiente cell relay.
CERN
Trata-se do European Laboratory for Particle Physics, possivelmente o mais importante centro para pesquisas avançadas em física nuclear e de partículas, localizado em Genebra, Suíça. O nome CERN relaciona-se ao seu nome anterior, Conseil Europeen pour la Recherche Nucleaire. Para os usuários Internet, o CERN é conhecido como o local onde foi desenvolvido a Web. Ver também: Web 
CHAVE
Parâmetro utilizado para cifrar texto em ambiente de rede seguro
CHECKSUM
Tipo de detecção de erro baseado em uma operação de soma nos bits a serem conferidos
ciberespaço
Conjunto de computadores e serviços que constitui a rede Internet.
Termo cunhado em analogia com o espaço sideral explorado pelos astronautas.
cliente
É um processo ou programa que requisita serviços a um servidor. Ver também: servidor
CNA
Certified Novell Engineer Administrator, primeiro degrau na certificação da Novell.
CNE
Certified Novel Engineer, certificação que forma engenheiros de redes com o aval da Novell.
COLISÃO
É a condição na qual dois pacotes começam a ser transmitidos em um meio ao mesmo tempo. A interferência na transmissão faz com que os dois pacotes sejam incompreensíveis.   
correio eletrônico
Um meio de comunicação baseado no envio e recepção de textos, chamados de mensagens, através de uma rede de computadores.
CSMA
Protocolo de controle de acesso baseado no múltiplo acesso ao meio de transmissão.
CSMA/CD
É uma implementação melhorada do protocolo CSMA na qual as estações terminam sua transmissão assimque uma colisão for verificada.

D  

datagrama

Pacote de informação e dados complementares, como endereço de destino, que é enviado através de uma rede de pacotes.
DBA
Database Administrator, título concedido ao administrador de redes que possui uma certificação da Oracle em alguma ferramenta de base de dados , como o Oracle 9i.
DCE (Data Circuit Terminating Equipment)
É o dispositivo que provê a conversão de sinal e a codificação entre um DTE (Data Terminal Equipment) e a linha de transmissão.
DDN
Acrônimo para Defense Data Network, uma porção da Internet que conecta bases militares norte-americanas e seus fornecedores e é usada para comunicações não-confidenciais. MILNET é uma das redes DDN.
DIMM (Dual In-line  Memory Module)

Arquitetura de 64 bits utilizada nos módulos de memória e soquetes da placa mãe. Diferentemente do padrão SIMM, permite o uso de um pente de memória de cada vez.

DMZ (Zona Desmilitarizada)

Função de alguns firewalls que possibilita criar uma área fora da rede ou em algum computador para acesso irrestrito à internet. É útil para rodar aplicativos como jogos online e videoconferência, que podem não funcionar bem quando a conexão é intermediada por um proxy.

DRAM (Dynamic Random Acces Memory)

Memória dinâmica de acesso aleatório. Representa diferentes tipos de memória: EDO RAM, SDRAM,  DDR-RAM e RD-RAM.

DTE ( Data Terminal Equipment)

É o dispositivo terminal de dados que gera um sinal a ser tramitido na rede da informação do usuário.
dial-up
Método de acesso a computador remoto (ou rede) que se dá via rede de telefonia convencional.
domínio
É uma parte da hierarquia de nomes da Internet – DNS -, que permite identificar as instituições ou conjunto de instituições na rede. Sintaticamente, um nome de domínio da Internet consiste de uma seqüência de nomes separados por pontos(.).
domínio público, (software de)
Programa disponível publicamente, segundo condições estabelecidas pelos autores, sem custo de licenciamento para uso. Em geral, o software pode ser utilizado sem custos para fins estritamente educacionais e não tem garantia de manutenção ou atualização. Um dos grandes trunfos da Internet é a quantidade praticamente inesgotável de software de domínio público, de excelente qualidade, que circula pela rede. Ver também: shareware
DNS
O Domain Name System (DNS) é um serviço e protocolo da família TCP/IP para o armazenamento e consulta a informações sobre recursos da rede. A implementação é distribuída entre diferentes servidores e trata principalmente da conversão de nomes Internet em seus números IPs correspondentes.
download
Processo de se transferência de uma cópia de um arquivo presente em um computador remoto para outro computador através da rede. O arquivo recebido é gravado em disco no computador local. O computador de onde os dados são copiados é subentendido como "maior" ou "superior" segundo algum critério hierárquico, enquanto o computador para o qual os dados são copiados é subentendido "menor" ou "inferior" na hierarquia. O sentido literal é, portanto "puxar para baixo".

E  

Ethernet

Um padrão muito usado para a conexão física de redes locais, originalmente desenvolvido pelo Palo Alto Research Center (PARC) da Xerox nos EUA. Descreve protocolo, cabeamento, topologia e mecanismos de transmissão.
e-mail (correio eletrônico)
1. Correio eletrônico; 2. Endereço de correio eletrônico.

F  

FAQ

Acrônimo de Frequently Asked Questions, documento com perguntas e respostas sobre determinado assunto, em geral voltado para leigos ou neófitos.
fast ethernet
Padrão de rede local baseado na Ethernet com taxa de transferência de 100 Mbps em cabos de par trançado, coaxial e fibra ótica.
FDDI
Acrônimo de Fiber Distributed Data Interface, um padrão para o uso de cabos de fibras óticas em redes locais (LANs) e metropolitanas (MANs). A FDDI fornece especificações para a velocidade de transmissão de dados (alta, 100 Mbps), em redes em anel, podendo, por exemplo, conectar 1.000 estações de trabalho a distâncias de até 200 Km.
fibre chanel

Tecnologia de rede projetada para altas taxas de transferências entre dispositivos de armazenamento e computadores.
FidoNet

Rede mundial de BBS, baseada no uso do protocolo Fido, interligando computadores pessoais via linhas telefônicas.
finger

Um serviço Internet que permite obter informações sobre usuários de uma máquina.
firewall

Um sistema de segurança de rede, cujo principal objetivo é filtrar o acesso a uma rede.
foo

Uma palavra comumente usada para exemplificar qualquer coisa em literatura técnica na área de informática. Por exemplo, ela freqüentemente aparece em exemplos de nomes de domínios como:  ana@foo.bar.com (a utilização de foo com bar significa o acrônimo FUBAR - Fucked Up Beyond All Recognition -, comumente usado por militares norte-americanos).

frame
Um frame(quadro) é a informação contida na unidade do nível de enlace no modelo RM-OSI.
freenet

Uma máquina na Internet que é dedicada a acesso pela comunidade sem cobrança de nenhuma taxa. O acesso é fornecido através de bibliotecas públicas ou acesso dial-up. Oferece serviços de BBSs,correio eletrônico e acesso (restrito, em geral) à Internet.

freeware
Ver: Domínio público
FTP
File Transfer Protocol. Protocolo padrão da Internet, usado para transferência de arquivos entre computadores.
FTP anônimo
Serviço que possibilita o acesso a repositórios públicos de arquivos via FTP. Ver também: FTP
FYI
Acrônimo de For Your Information (FYI), uma série de artigos sobre a Internet; são similares às RFCs, mas possuem conteúdo consideravelmente menos técnico e não definem novos padrões.

G  

gateway

  1. Sistema que possibilita o intercâmbio de serviços entre redes com tecnologias completamente distintas, como FidoNet e Internet;
  2. Sistema e convenções de interconexão entre duas redes de mesmo nível e idêntica tecnologia, mas sob administrações distintas.
  3. Roteador (terminologia TCP/IP).
Gopher
Um sistema distribuído para busca e recuperação de documentos, que combina recursos de navegação através de coleções de documentos e bases de dados indexadas, por meio de menus hierárquicos. O protocolo de comunicação e o software seguem o modelo cliente-servidor, permitindo que usuários em sistemas heterogêneos naveguem, pesquisem e recuperem documentos armazenados em diferentes sistemas, de maneira simples e intuitiva.

H  

HDLC ( Hight Level Data Link Control)

Protocolo de comunicação ISSO, usado em redes de comunicação de pacotes x25. Ele tem correção de erros na camada de enlace de dados. SDLC, LAP e LAPB são subconjuntos de HDLC.

HDSL (Hight-bit-rate Digital Subscriber Line)
Tecnologia para transmissão a taxas de dados na ordem de Mbps, usando linhas telefônica comuns. O HDSL usa um método de codificação derivado do ISDN.
Hijacking

É o seqüestro de uma sessão, geralmente TCP/IP. O seqüestro é uma forma de obter o controle de uma conexão iniciada por um usuário legítimo. Ao interceptar essa conexão o hacker ou cracker pode tomar o lugar do usuário legítimo pois essa conexão já passou pelo sistema de autenticidade. 

Hiper LAN

Sigla de High Performance Radio Local Area Network. É um conjunto de padrões desenvolvido pelo European Telecommunications Standards Institute. Usado principalmente na Europa , a HiperLAN é similar ao 802.11. 

HIPPI

Padrão ANSI para canais de comunicação de alta velocidade que usa cabo de 32 ou 64 bits e transmite de 100 a 200 Mbytes/s.

host

Computador ou dispositivo ligado à Rede.
HSSI ( High Speed Serial Interface)

Padrão de conexão serial para transmissão até 52Mbps.
HTML
Acrônimo de Hypertext Markup Language, é a linguagem padrão para escrever páginas de documentos Web (WWW). É uma variante da SGML (Standard Generalized Markup Language), bem mais fácil de aprender e usar, que possibilita preparar documentos com gráficos e links para outros documentos para visualização em sistemas que utilizam Web.

HTTP

O protocolo HTTP (HyperText Transfer Protocol) permite que os autores de hipertextos incluam comandos que possibilitam saltos para recursos e outros documentos disponíveis em sistemas remotos, de forma transparente para o usuário.

hub

Dispositivo responsável por centralizar a distribuição dos quadros de dados em redes fisicamente ligadas em estrela.

I  

IETF - Internet Engineering Task Force

IETF é a sigla para Internet Engineering Task Force e se refere a uma instituição que desenvolve e promove as normas de Internet. O site do IETF é www.ietf.org e nele encontramos as especificações de diversos protocolos associados à implementação e operação da Internet. Os documentos de especificação são chamados de RFC´s (Request for Comments).

iDEN

O Integrated Digital Networks é uma tecnologia de comunicação sem fio criada pela Motorola. Integra os recursos de telefona celular digital, rádio bidirecional e envio de dados por pacotes a 22 Kbps.
intranet

Uma coleção de redes locais e/ou de longa distância, interligadas numa rede virtual pelo uso de um protocolo que provê um espaço de endereçamento comum e roteamento. VerInternet.
Internet
Significa a "rede das redes". Originalmente criada nos EUA, que se tornou uma associação mundial de redes interligadas, que utilizam protocolos da família TCP/IP. A Internet provê transferência de arquivos, login remoto, correio eletrônico, news e outros serviços.
IP
O Internet Protocolé o protocolo responsável pelo roteamento de pacotes entre dois sistemas que utilizam a família de protocolos TCP/IP, desenvolvida e usada na Internet. É considerado o mais importante dos protocolos em que a Internet é baseada.
IPX( Internet Packet Change)

Protocolo de comunicação do Novell NetWare que cria, mantém e finaliza conexões entre dispositivos de rede, tais como estações de trabalho e servidores.
IRC
Acrônimo de Internet Relay Chat, serviço que possibilita a comunicação escrita on-line entre vários usuários pela Internet. É a forma mais próxima do que seria uma "conversa escrita" na rede.
ISO
International Organization for Standardization (ISO)‚ uma organização internacional formada por órgãos de diversos países que discute, especifica e propõe padrões para protocolos de redes. Muito conhecida por ter estabelecido um modelo de sete camadas que descreve a organização conceitual de protocolos, o OSI.
ISDN [RDSI]

Uma rede digital que integra serviços de diversas naturezas como voz, dados, imagens, etc. que deve substituir gradualmente a infra-estrutura física atual de comunicações, em que cada serviço tende a trafegar por segmentos independentes.
ITU ( International Telecommmunications Union)

Órgão da ONU responsável pelo estabelecimento de normas e padrões em telecomunicações.

J  

Jabber

  1. Dados aleatórios enviados continuadamente por uma estação com problemas em sua lógica ou circuito
  2. No IEEE 802,3, um pacote de comprimento excedente ao padrão prescrito. 

K  

kermit

Um programa popular de transferência de arquivos e emulação de terminal.

L  

LAN

Acrônimo de Local Area Network, rede de computadores limitada, em geral, limitada a um prédio ou conjunto de prédios de uma instituição e o roteamento da informação é feito através de uma primitiva de broadcast.

LAWN 

Local Area Wireless Network. Também conhecida como WLAN, de Wireless Local Area Network, ou rede local sem fio.

layer

É um grupo de serviços e funções e que são concebidos em um modelo de protocolos. A Idéia é que um nível (layer) agrupe os protocolos com funções e serviços relacionados.

LBRV (Low Bit-Rate Voice)

Técnica de amostragem de voz que analisa a cada 15 ou 30 milisegundos de conversação independentemente e a converte em um quadro de 30 bytes. 

LBS

Location Based System, programa de localização que usa a triangulação das antenas de celulares (ERBs) para encontrar a célula que a pessoa está naquele momento. A Margem de erro é de 10m.

Linha Pupinizada

linha telefônica com bobinas instaladas para aumentar a indutância e minimizar a distorção de amplitude.

listserv

Servidor de listas de discussões.
LLC (Logical Link Control)

Protocolo desenvolvido pelo comitê 802 do IEEE para controle de transmissão de dados na camada de enlace.

login remoto

Acesso a um computador via rede para execução de comandos. Para todos os efeitos, o computador local, usado pelo usuário para "logar" no computador remoto, passa a operar como se fosse um terminal deste último.

LOS

Abreviatura de Line Of Sight (linha de visão). Em tecnologias de radiofreqüência, indica um caminho livre entre o transmissor e o receptor. Obstáculos como árvores, prédios e montanhas podem obstruir a comunicação. o caminho parcialmente obstruído entre os pontos de transmissão e recepção é indicado como NLOS, ou seja, quase linha de visão (Near Line Of Sight). 


M  

MAN (Rede metropolitana)

Acrônimo de Metropolitan Area Network, uma rede com tecnologia que opera a alta velocidade (de centenas de megabits por segundo a alguns gigabits por segundo) e que tem abrangência metropolitana.

MCP
Microsoft Certified Professional, primeiro título da carreira profissional da Microsoft.
MCSE

Microsoft Certified Systems Engineer, título máximo entre as certificações profissionais oferecidas pela microsoft.

MIB (Management Information Base)


É uma base de informação padronizada utilizada para gerência de rede.

MMDS (Multichannel Multipoint Distribution Service)

É uma banda larga wireless ponto-a-multiponto especificação utilizando UHF (Ultra High Frequency) comunicações.
Mosaic
Um programa cliente de fácil utilização projetado para procura de informações disponíveis na Web. Distribuído comofreeware, o Mosaic foi criado pelo National Center for Supercomputing applications (NCSA) dos EUA e tem capacidade multimídia.
multicast

Um endereço para uma coleção específica de nós numa rede, ou uma mensagem enviada a uma coleção específica de nós. É útil para aplicações como teleconferência.
Multiplexação

É a técnica utilizada para o compartilhamento de enlaces na comunicação de dados nas redes de comunicação e de computadores,. A multiplexação também representa a operação de compartilhamento de protocolos das camadas inferiores pelas superiores. um exemplo é a multiplexação do IP. 
MULTIPONTO

É uma tecnologia onde três ou mais dispositivos compartilham o mesmo meio físico. Exemplos de redes multiponto são Ethernet e a Token-Ring

N  

Navegação


Ato de conectar-se a diferentes computadores da rede distribuídos pelo mundo, usando as facilidades providas por ferramentas como browsers Web. O navegante da rede realiza uma "viagem" virtual explorando o ciberespaço, da mesma forma que o astronauta explora o espaço sideral. Cunhado por analogia ao termo usado em astronáutica.
Net
The Net ou Internet, a rede.
netiqueta

Um conjunto de regras de etiqueta para o uso socialmente responsável da Internet, ou seja, o modo como os usuários devem proceder na rede, especialmente na utilização de correio eletrônico.
netnews
Usenet News, Usenet ou News Serviço de discussão eletrônica sobre vasta gama de assuntos, cada qual ancorado por um grupo de discussão.
newsVer: netnews newsgroup
Grupo temático de discussão do netnews.
NFS
O Network File System, desenvolvido pela Sun Microsystems Inc., é um protocolo que usa IP para permitir o compartilhamento de arquivos entre computadores.
NIC [CI]
Network Informations Center, centro de informação e assistência ao usuário da Internet que disponibiliza documentos, como RFCs, FAQs e FYIs, realiza treinamentos, etc.
NIS

Acrônimo para Network Information System (NIS), é um sistema distribuído de bases de dados que troca cópias de arquivos de configuração unindo a conveniência da replicação à facilidade de gerência centralizada. Servidores NIS gerenciam as cópias de arquivos de bases de dados, e clientes NIS requerem informação dos servidores ao invés de usar suas cópias locais destes arquivos. É muito usado por administradores UNIX para gerenciar bases de dados distribuídas através de uma rede. 
Ver também: NIS+
NIS+
Versão atualizada do NIS de propriedade da Sun Microsystems Inc. que provê mais recursos ao serviço e uma maior segurança.

Qualquer dispositivo, inclusive servidores e estações de trabalho, ligado a uma rede.

NOC [CO]

Network Operations Center.
Um centro administrativo e técnico que é responsável por gerenciar os aspectos operacionais da rede, como o controle de acesso a mesma, roteamento, etc.

O  

OSI

O Open Systems Interconnection (OSI) é um modelo conceitual de protocolo com sete camadas definido pela ISO, para a compreensão e o projeto de redes de computadores. Trata-se de uma padronização internacional para facilitar a comunicação entre computadores de diferentes fabricantes. Ver também: ISSO


P

pacote

Dado encapsulado para transmissão na rede. Um conjunto de bits compreendendo informação de controle, endereço fonte e destino dos nós envolvidos na transmissão.
ping
O ping (Packet Internet Groper) é um programa usado para testar o alcance de uma rede, enviando a nós remotos uma requisição e esperando por uma resposta.
PIR [Ponto de Interconexão de Redes]

Locais previstos para a inter-conexão de redes de mesmo nível (peer networks), visando assegurar que o roteamento entre redes seja eficiente e organizado. No Brasil, os três principais PIR’s estão previstos em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

PoC - PTT over Cellular

O PoC é um serviço celular que implementa a funcionalidade de rádio bidirecional em telefones móveis celulares. Os protocolos do PoC foram desenvolvidos e são mantidos pelo OMA (Open Mobile Alliance).

A implementação do PoC pode ser feita sobre diferentes tecnologias celulares como: 1xRTT, GPRS, EDGE, UMTS e 1xEVDO.

PoP

Ponto de Presença de uma espinha dorsal de rede. Local onde uma rede permite acesso a sub-redes e a provedores de serviços. Uma rede madura cobre sua região de atuação através de pontos de presença nas principais cidades/distritos dessa região: interligados por um conjunto de linhas dedicadas, compondo um backbone.
POP

Post Office Protocol.
Protocolo usado por clientes de correio eletrônico para manipulação de arquivos de mensagens em servidores de correio eletrônico.
porta
Uma abstração usada pelo protocolo TCP/IP para distinguir entre conexões simultâneas para um único host destino. O termo também é usado para denominar um canal físico de entrada ou de um dispositivo.
Postmaster
E-mail do responsável pelo correio eletrônico de uma instituição.
PPP
Um dos protocolos mais conhecidos para acesso via interface serial, permite que um computador faça uso do TCP/IP através de uma linha telefônica convencional e um modem de alta velocidade. É considerado o sucessor do SLIP por ser mais confiável e eficiente.
protocolo
Uma descrição formal de formatos de mensagem e das regras que dois computadores devem obedecer ao trocar mensagens. Um conjunto de regras padronizado que especifica o formato, a sincronização, o seqüenciamento e a verificação de erros em comunicação de dados. O protocolo básico utilizado na Internet é o TCP/IP.
Provedor de Acesso

Instituição que se liga à Internet, via um ponto de presença ou outro provedor, para obter conectividade IP e repassá-la a outros indivíduos e instituições, em caráter comercial ou não.
Provedor de Informação

Instituição cuja finalidade principal é coletar, manter e/ou organizar informações on-line para acesso, através da Internet, por parte de assinantes da rede. Essas informações podem ser de acesso público incondicional, caracterizando assim um provedor não-comercial ou, no outro extremo, constituir um serviço comercial onde existem tarifas ou assinaturas cobradas pelo provedor.
Provedor de Serviço

Pode ser tanto o provedor de acesso quanto o de informação.

Q  

QuickConnect

Este é mais um recurso suportado pelos modems V.92, que consiste num handshake cerca de duas vezes mais rápido que o dos modems de 56K V.90. O handshake é o processo de negociação realizado pelos modems antes de estabelecer a conexão onde são analizadas as condições da linha (o barulhinho de conexão que conhecemos bem). Os modems V.92 são capazes de armazenar as condições da conexão anterior, eliminando a necessidade de realizar todos os testes a cada conexão. Graças ao QuickConnect, o handshake demora apenas 13 ou 15 segundos, em oposição aos 25 ou 27 segundos dos modems V.90.

R

  repetidor

Um dispositivo que propaga (regenera e amplifica) sinais elétricos em uma conexão de dados, para estender o alcance da transmissão, sem fazer decisões de roteamento ou de seleção de pacotes.
Ver também: bridge, roteador
RDSI (Rede Digital de Serviços Integrados)

Padrão de cominicação internacional para transmissão de dados digitais a 64kbps. O RDSI usa comutação de circuitos para seus dois canais a 64 kbpc, os canais B e um canal separado, chamado D, para controle dos sinais. 
RFC
Acrônimo para Request For Comments. RFCs constituem uma série de documentos editados desde 1969 e que descrevem aspectos relacionados com a Internet, como padrões, protocolos, serviços, recomendações operacionais, etc. Uma RFC é, em geral, muito densa do ponto de vista técnico.
RING
Topologia de rede na qual sa estações são conectadas umas nas outras fechando um anel
RIP (Routing Information Protocol)
Protocolo de Roteamento em TCP/IP e NetWare usado para identificar todas as redes bem como o número de saltos (hops) de roteamentos necessários para chegar a eles.
RHCE

Red Hat Certified Engineer, uma das certificações mais cobiçadas entre os profissionais de Linux. Já existe no Brasil desde setembro de 2002. 

RONJA (do inglês Reasonable Optical Near Joint Access)

É um dispositivo de óptica em espaço livre originário da República Tcheca. Ele transmite dados sem fios usando feixes de luz. O Ronja pode ser usado para substituir um segmento de LAN, permitindo que os usuários da rede usufruam de todas as suas atividades como se estivessem conectados diretamente por meio de uma rede Ethernet full duplex convencional de 10Mbit/s — jogando em rede, conectando à Internet, transmitindo áudio e vídeo em tempo real ou compartilhando arquivos.

O alcance da configuração básica é de 1,4 km. O dispositivo consiste de tubos receptor e transmissor (cabeça óptica) montados em um suporte firme e ajustável. Dois cabos coaxiais, semelhantes aos utilizados com antenas de TV, são usados para conectar essa instalação externa a um tradutor de protocolos instalado perto de um computador ou switch. O alcance pode ser estendido para 1,9 km dobrando ou triplicando o tubo transmissor.

roteador
Dispositivo responsável pelo encaminhamento de pacotes de comunicação em uma rede ou entre redes. Tipicamente, uma instituição, ao se conectar à Internet, deverá adquirir um roteador para conectar sua Rede Local (LAN) ao ponto de presença mais próximo.

S  

SAN (Systenm Area Network)


Rede de alto desempenho utilizada para ligar computadores em pequenas distâncias com taxas de transferência na ordem  de Gps.
SAN (Storage Area Network)

Configuração de rede cujo objetivo é o armazenamento com alto desempenho.
Screened Host
Um host em uma rede atrás de um screening router (filtra pacotes). O grau a que um host selecionado pode ser alcançado depende das regras da seleção no router.
Secure Hash Algorithm
Algoritmo que cria a partir da mensagem original, uma assinatura digital que garante a autenticidade da mensagem.
Secure state

Condição na qual nenhum sujeito pode acessar objetos de uma maneira não autorizada.
Security evaluation
Uma avaliação do grau de confiança que pode ser colocado nos sistemas para a manipulação segura da informação sensível. Um tipo, uma avaliação do produto, é uma avaliação executada nas características do hardware e do software e em garantias de um produto de computador a partir de uma perspectiva que exclua o ambiente da aplicação. O outro tipo, uma avaliação de sistema, é feito com a finalidade de avaliar proteções de segurança de um sistema com respeito a uma missão operacional específica e é a etapa principal no processo da certificação.
Security measures

Elementos de software, hardware ou procedimentos que são incluídos num sistema para satisfazer as especificações de segurança.
Security Officer
Pessoa(s) que garante(m) que os procedimentos de segurança estão de acordo com a plítica de segurança.
Security perimeter
O limite onde os controles da segurança devem de fato proteger recursos.
Security policy
O conjunto das leis, diretrizes, regras, e das práticas que regulam como uma organização controla, protege, e distribui a informação sensível.
Security requirements
Tipos e níveis de proteção necessários para equipamentos, dados, informação, aplicações e instalações para atender a política de segurança.
Security requirements baseline
Descrição dos requerimentos mínimos necessários para um sistema manter um nível aceitável de segurança.
Security specifications
Descrição detalhada dos requerimentos de segurança necessários para proteger um sistema.
Security test and evaluation
Exame e análise dos procedimentos de segurança de um sistema colocados em operação para determinar o grau de segurança deste sistema.
Security testing
Processo usado para determinar se os aspectos de segurança de um sistema foram implementados como planejado.
Sensitive Information
Refere-se às informações que divulgadas, modificadas ou destruídas sem autorização provocarão danos à alguém ou à organização.
Serial ATA

A tecnologia Serial ATA (SATA), como o próprio nome indica, é serial, eliminando assim os problemas de interferência. São menores e mais rápidos que os discos ATA/IDE atuais. São mais fáceis de instalar, não precisa ajustar jumpers, basta que a placa mãe suporte a tecnologia. 

Servidor

No modelo cliente-servidor, é o programa responsável pelo atendimento a determinado serviço solicitado por um cliente. Serviços como archie, Gopher, WAIS e WWW são providos por servidores; Referindo-se a equipamento, o servidor é um sistema que provê recursos tais como armazenamento de dados, impressão e acesso dial-up para usuários de uma rede de computadores.
site (instalação)
Uma instituição onde computadores são instalados e operados;
Um nó Internet.
shareware
Programa disponível publicamente para avaliação e uso experimental, mas cujo uso em regime pressupõe que o usuário pagará uma licença ao autor. Note-se que shareware é distinto de freeware, no sentido de que um software em shareware é comercial, embora em termos e preços diferenciados em relação a um produto comercial "ortodoxo".
Ver também: domínio público.
SHF (Super High Frequency)
Microondas da faixa de 3 GHz a 30 GHz.
SLIP
Serial Line IP é um protocolo Internet bastante popular usado via interfaces seriais.
Ver também: PPP
smiley
Uma "carinha" construída com caracteres ASCII e muito usada em mensagens eletrônicas para dar idéia de sentimentos ou emoções. Por exemplo, a mais comum é :-), que significa humor e ironia. Você deve girar o smiley 90 graus para a direita para entendê-lo.
SMTP
O Simple Mail Transfer Protocol é o protocolo TCP/IP usado para troca de mensagens via correio eletrônico na Internet.
SNMP
O Simple Network Management Protocol é um protocolo usado para monitorar e controlar serviços e dispositivos de uma rede TCP/IP. É o padrão adotado pela RNP para a gerência de sua rede.
Social Engineering

Um ataque baseado em enganar usuários ou administradores. Os ataques de engenharia social são realizados tipicamente fazendo-se passar por um usuário autorizado para tentar ganhar o acesso ilícito aos sistemas. Também são feitos iludindo os responsáveis por liberação de acesso baseados na confiança.
Spoofing
Tentativa de ganhar acesso ao sistema iludindo ser um usuário autorizado.
SymmetricAlgorithm

Algoritmo de criptografia que usa somente uma chave, tanto para criptografar como para descriptografar. Esta chave deve ser mantida secreta para garantir a confidencialidade da mensagem. Também conhecido como algoritmo de chave secreta.
sysop
A pessoa que opera e mantém um BBS. Abreviatura de system operator.
System Security Administrator
Pessoa responsável pela segurança de um sistema de informação automatizado.

T

talk

Serviço que permite a comunicação escrita on-line entre dois usuários da Internet.
TCP/IP
Acrônimo de Transmission Control Protocol/Internet Protocol, é a família de protocolos para a comunicação de dados inter-redes, originalmente proposta para a Advanced Research Products Agency Network (ARPANet). Hoje é um padrão de fato para inter-redes abertas, e seu uso é amplamente difundido dentro e fora dos EUA.

TDES - Triple DES

A sigla TDES se refere ao termo Triple DES que é um algoritmo de criptografia também conhecido pela sigla 3DES. Para maiores informações consulte a página sobre 3DES.

Telnet

Serviço que permite login remoto segundo o jargão e a vertente técnica Internet.
TIGHT
Tipo de construção de cabos ópticos onde as fibras são fisicamente vinculadas ao elemento de tração do cabo.
Torno de Deposição
Equipamento usado para confecção da pré-forma. No processo MCVD o torno é dotado de garras que prendem o tubo de sílica, coloca-o em movimento de rotação uniforme e injeta em seu interior os cloretos que serão depositados por oxidação. É também dotado de queimadores que percorrem por diversas vezes o tubo, elevando a temperatura para provocar a deposição.
Torre de Estiramento
Equipamento usado para estirar o bastão de pré-forma, transformando-o em fibra óptica. É dotado de uma cabeça onde a pré-forma é aquecida até adquirir uma consistência "pastosa", e de um sistema de
tracionamento, que controla o diâmetro da fibra estirada.O mesmo que torre de puxamento.
transceiver
Dispositivo utilizado na conexão física de um nó a uma rede local.
transferência de arquivos

Cópia de arquivos entre duas máquinas via rede. Na Internet, implantada e conhecida por FTP.

Triple Data Encryption Standard - 3DES

3DES é a sigla para Triple Data Encryption Standard e se refere a um algoritmo de criptografia. Este cifrador é de chave simétrica, implementando uma criptografia de bloco e foi baseado no algoritmo DES (Data Encryption Standard) desenvolvido pela IBM em 1974. O 3DES utiliza três chaves, K1, K2 e K3, de 64 bits (56 bits compõem cada umaa das chaves e 8 bits são de paridade) em três estágios de codificação em cascata. Note que com isto, o algoritmo pode ter chaves de até 192 bits.

O 3DES também é conhecido pela sigla TDES e está publicado como padrão ANSI no documento “ANS X9.52-1998 Triple Data Encryption Algorithm Modes of Operation”.

O algoritmo do 3DES pode ser resumido pela seguinte fórmula:

Texto Criptografado = CK3(DK2(CK1(Texto Original)))

As funções C e D são de Criptografia e Decriptografia respectivamente, ou seja, o texto original é criptografado com a chave K1, Decriptografado com K2 e Criprografado com K3. O bloco de texto original é de 64 bits. A operação reversa de descriptografia é simétrica.

TTL - Time to Live

É um campo do header IP que indica o tempo de “vida” do pacote IP. A cada salto (hop) entre roteadores o valor do TTL é diminuído de 1 unidade. Quando o TTL chega a zero o pacote IP é descartado. Note que o valor do TTL indica qual o número máximo de saltos entre roteadores permitidos para um pacote.


U  

U (Unidade de Rack)

Unidade de espaço vertical disponível entre as colunas do rack. Como a largura é padrão, o espaço vertical é o que determina quantos equipamentos você pode instalar. Uma unidade de rack (1U) vale 4,445 cm. 
UDMA (Ultra Direct Memory Access).

tecnologia de HD correspondente à Ultra ATA, embora com formas de referência diferentes. No caso do UDMA, informa-se o modo: UDMA 2, ou modo 2 (Ultra ATA/33); UDMA 3(Ultra ATA/44); 4 (Ultra ATA/66); 5 (Ultra ATA/100); 

UDP

Acrônimo para User Datagram Protocol, o protocolo de transporte sem conexão da família TCP/IP, usado com aplicações como o de gerenciamento de redes (SNMP) e de serviço de nomes (DNS).
URL
Acrônimo para Uniform Resource Locator, localizador que permite identificar e acessar um serviço na rede Web. Por exemplo, a URL abaixo aponta para o WWW da PGREDES: http://www.pgredes.hpg.com.br/
Usenet
Ver: Netnews
Usenet News
Ver: Netnews
UUCP

UNIX-to-UNIX CoPy
é uma coleção de programas para intercomunicação de sistemas UNIX. Possibilita a transferência de arquivos, execução de comandos e correio eletrônico.

V

Veronica

Acrônimo para Very Easy Rodent-Oriented Net-wide Index to Computerized Archives, ferramenta para pesquisa no GopherSpace, o conjunto de servidores Gopher disponíveis na Internet.
VHF (Very High Frequency)

Microondas da faixa de 300 MHz a 3 GHz.
VPN(Virtual Private Network)
É uma arranjo de computadores que podem ser vistos como participando de uma rede privada, embora existam outros computadores no ambiente. De uma outra forma podemos dizer que uma VPN é um domínio de broadcast.

W

Waffle

Um programa que possibilita a um BBS tornar-se um site Usenet.
WAIS

Acrônimo para Wide Area Information Server, é um serviço de bases de dados distribuídas acessíveis via Internet, cuja principal peculiaridade é a conversão automática de formatos para visualização remota de documentos e dados.
WAN (Rede de longa distância)
Acrônimo de Wide Area Network, uma rede que interliga computadores distribuídos em áreas geograficamente separadas.Ver também: LAN e MAN
WAP (Wireless Application Protocol)
É um ambiente wireless caracterizado por uma arquitetura de protocolos definida para acesso à internet por dispositivos móveis. Tais como celulares e PDAs.
W-CDMA
Wideband CDMA, tecnologia que implementa alta velocidade nas redes celulares para a terceira geração da telefonia sem fio. O W-CDMA pode alavancar a transmissão de voz, vídeo, informações e imagens para 2 Mbps.
WDM (Wavelength Division Multiplexing)

Sistema de multiplexação onde diversos canais são alocados em comprimentos de onda diferentes para transmissão por uma mesma fibra. É o sistema que atualmente permite maior capacidade de
transmissão.
Web
Ver: WWW
Weca

Wireless Ethernet Compatibility Alliance, antigo nome da Wi-Fi Alliance.

WHOIS

Banco de dados de informações sobre domínios, redes, hosts e pessoas, fornecendo um serviço de diretório de usuários da Internet.

wireless


Ambientede rede sem fio.
WORM
Acrônimo de Write Once Read Many. 1. Ferramenta de busca na rede Web; 2. Verme, programa que, explorando deficiências de segurança de hosts, logrou propagar-se de forma autônoma na Internet na década de 80.
WPA

Sigla de Wi-Fi Protected Access. É um padrão consensual de segurança adotado pela empresas para redes 802.11. Foi recentemente incluído num UPGrade para Windows XP. Espere-se que o WPA sea ratificado num futuro padrão oficial, o IEEE 802.11i. 

WTLS – Wireless Transport Layer Security

O protocolo WTLS (Wireless Transport Layer Security) foi projetado para funcionar em cima de protocolos de transporte e/ou datagramas (WDP) dentro da tecnologia WAP. É um protocolo opcional na estrutura da tecnologia WAP.

O WTLS é baseado na TLS (Transport Layer Security), que por sua vez é baseada no SSL (Secure Sockets Layer), que são protocolos da Internet.

Por ser opcional, a segurança no WAP só é disponível sob demanda e não é uma característica fixa da arquitetura WAP.

Serviços oferecidos pelo WTLS:

•Privacidade
•Autenticação
•Integridade de dados

WTP – Wireless Transaction Protocol

O principal objetivo do WTP (Wireless Transaction Protocol) é dar confiabilidade para a transação WAP de forma a balancear a confiabilidade desejada com o seu custo.

De uma forma geral, podemos dizer que o WTP dá maior confiabilidade sobre serviços datagrama da tecnologia WAP. O WTP retira da camada superior os pedidos de retransmissão e acknowledgements, intrínsecos aos serviços datagrama dando maior eficiência com serviços orientados a conexão.

Algumas características importantes deste protocolo:

•Confiabilidade obtida através do uso de identificadores únicos de transação, acknowledgements;
•remoção de duplicatas e retransmissões;
•Confiabilidade opcional de usuário-a-usuário;
•O protocolo fornece mecanismo para minimizar o número de transações sendo requisitadas devido a pacotes duplicados;
•Aborto de transações pendentes;
•Para mensagens confiáveis de invocação, tanto o sucesso quanto a falha são informados;

WWW

World Wide Web, ou Web. Meta-rede, baseada em hipertextos, que integra diversos serviços Internet, através de uma interface que possibilita o acesso a informações multimídia.

X  

X.121

Sistema de numeração internacional para redes públicas de dados. 

X.21 bis

Recomendação ITU que governa a Interface entre DTEs e modems síncronos série V em redes telefônicas públicas.

X.21

Padrão ITU que governa a Interface entre DCEs e DTEs para operação síncrona em redes públicas de dados.

X.25

Protocolo de roteamento muito utilizado em redes públicas de pacotes.

X.400

Um protocolo que especifica serviços do tipo store-and-forward, sendo o serviço de correio eletrônico Message Handle System (MHS) o mais conhecido deles, como parte das recomendações OSI/ISO.
X.500
É um padrão ITU-TSS/ISO para serviços de diretório eletrônico.

Y 

Yagi (antena)

Esta é uma antena de grande potência, que pode ser usada tanto para transmitir sinais por distâncias relativamente grandes, quanto captar sinais fracos, que antenas menores não seriam capazes de captar. As antenas Yagi medem cerca de 50 centímetros e custam cerca de 200 dólares e são usadas em algumas tecnologias de rede sem fio, algumas das quais permitem conexões a distâncias de até 2 KM.


Antena Yagi

yellow pages

Ver: NIS
Ymodem
Protocolo de transferência de arquivos idêntico ao Xmodem-1k mais tranferêcia de arquivos em batch (também conhecido como Ymodem batch)
YUG
Descreve a luminância analógica e sinais de diferenças de cores em sistema de vídeo composto. Y é a luminância, U e V são os eixos de modulação das duas sub portadoras no sistema de codificação de cores PAL.

Z

ZAW

Zero Administration for Windows. Uma coleção de utilitários desenvolvida pela Microsoft que visa diminuir o trabalho dos administradores de rede, permitindo atualizar programas das estações a partir de qualquer ponto da rede, por exemplo.

Zettabyte (ZB)

Medida de armazenamento que corresponde a 2^70 bytes. Equivale a 1.024 Exabytes, 1.048.576 Petabytes, 1.073.741.800 Terabytes, etc.

Zmodem

Protocolo de Transferência  de arquivos capaz de lidar com linhas ruidosas e condições de transmissão variáveis. Ele envia o nome do arquivo, data, tamanho e usa blocos de comprimento variável com correção de erro tipo CRC.

Zona

Sub-rede lógica de uma rede AppleTalk.

 


Sumário


Sumário



Sumário

© www.projetoderedes.com.br - Termos e Condições de Uso