3 erros a serem evitados ao ingressar numa faculdade de TI

Imagine passar meses juntando dinheiro para concretizar um sonho. Esperar ansiosamente é quase uma tortura até que finalmente chega o dia de realizar a compra do seu tão sonhado carro. Mas quando finalmente você vai utilizar, percebe que o veiculo está com defeito e você terá que levar para garantia e esperar até 30 dias para resolver o problema. O relato até parece a descrição de um daqueles programas cujo tema é a defesa do consumidor… O sentimento predominante é frustração.

Semelhante a uma pessoa que compra um objeto e têm expectativas positivas, um recém egresso em uma faculdade de TI também tem muitas expectativas a cerca do seu futuro, tais como: bom salário, oportunidade de trabalhar, bons ambientes de trabalhos, crescimento, etc.… Contudo, ao passo que um objeto que compramos, em caso de defeito, pode obter conserto ou o dinheiro de volta, uma expectativa frustrada ao termino de um curso superior não é tão simples de se resolver. Neste artigo quero expor 3 erros que, se evitados, podem ajudar a obter bons resultados no mercado de trabalho e desta forma poder aproveitar uma profissão que gera milhares de oportunidades. 

carreira-trabalho-profissional-desanimado

1 – Escolher o curso baseado em quanto vai ganhar

Muitas vezes a grande mídia divulga noticias acerca da área de informática sobre oportunidades com valores de salários bem generosos e as pessoas visualizam e tomam a decisão baseado principalmente no aspecto vaga/salário. Mas, tem uma coisa muito importante a considerar: tomar a decisão baseado na sua vocação. A palavra vocação vem do latim vocare que significa chamado, é como se fosse uma voz interior que te chama, então quando atendemos essa voz interior é um caminho para satisfação pessoal.

Sempre observei que as pessoas que alcançaram notoriedade pela competência excepcional com a qual realizam suas atividades, sejam esportivas ou empresarias, possuem uma característica: amor ao que se faz! Observei que quando amamos o que fazemos somos levados a fazer cada vez melhor. Existe uma pesquisa realizada pelo professor Mark Albion e divulgada no livro Making a Life, Making a Living (Warner Business Books, 2000, ainda não publicada no Brasil) que ilustra claramente a importância do respeito à vocação e aos valores das escolhas que uma pessoa faz ao longo da carreira.

Nela, 1.500 profissionais que haviam concluído um Master in Business Administration (MBA), vinte anos antes nas melhores escolas americanas, relataram as prioridades em suas escolhas profissionais: 83% optaram pelo emprego em função do salário. Os 17% restantes optaram por aquilo que mais lhe davam prazer, independente da vida financeira. Vinte anos depois, Albion foi verificar como estava a carreira desses profissionais.  Dos 1.500, 101 tornaram-se milionários. Destes, apenas 1 pertencia ao grupo que fez a escolha orientada pelo dinheiro, todos os demais viraram milionários trabalhando no que gostavam.

Uma vocação verdadeira vai lhe proporcionar um ânimo extra para superar os obstáculos naturais do trabalho, encontrar caminhos diferentes onde outros não vêem saída, iniciativa para sempre buscar o seu melhor. Essas são características básicas para o profissional se destacar em qualquer área.

2 – Achar que Faculdade de TI  é a capacitação completa ao mercado de trabalho

O erro nesta declaração é incluir a palavra “completa”. A formação superior é um passo importante, pois estrutura a base do conhecimento e o aluno pode ter uma visão geral. É uma abordagem da ciência e conceitos que serão úteis durante toda a vida profissional. Não pretendo aqui julgar o modelo de educação, mas existe uma grande diferença entre o que o mercado exige e de fato como estão saindo os formandos.

Basear a formação apenas na faculdade é decretar que terá sérios problemas para entrar e se manter no mercado.

O cientista chefe do C.E.S.A.R, Silvio Meira, em uma entrevista intitulada “Por uma universidade revolucionaria”, diz:

A Universidade pode ter um papel revolucionário, ao invés de ser apenas um depósito de alunos e professores e uma impressora de diplomas entregues a aspirantes a vagas em concursos públicos.

Portanto, entender que é necessário ter uma atitude empreendedora é muito importante, mas o que é uma atitude empreendedora? Atividades que produzam resultados práticos. Por exemplo, se você faz um curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas, não precisa esperar até o último semestre para tentar criar um sistema, muito pelo contrário, a partir do primeiro semestre já comece a desenvolver algo interessante e que seja útil. Para isso você vai ver que terá que procurar livros, cursos, pessoas mais experientes, ou seja, terá que realmente entender como a coisa funciona. Esteja envolvido em grupos de estudos, procure por estágios. É muito importante entender que há o momento de focar na parte financeira e o momento que terá que focar na obtenção do conhecimento! Foque na parte financeira apenas quando dominar e entregar ao mercado valor e garantia de um excelente serviço.

Pode ter certeza que possuir um mãos um aplicativo ou um sistema que seja realmente útil é muito melhor aceito no mercado do que o diploma de curso superior ou certificações.

3 – Terminando a faculdade já terei um bom emprego e salário

“Todos querem ganhar medalhas de ouro, mas poucos querem treinar na intensidade necessária para conquistá-las” Mark Spitz (Conquistou 11 medalhas olímpicas).

É fato que a área de tecnologia traz inúmeras oportunidades, que inclusive são amplamente noticiadas, contudo, o que não é bem explicado é que para alcançar é preciso muito esforço e tempo. Essa informação confronta com essa geração z, que tem o perfil mais imediatista. Portanto, tentar explicar a um jovem que simplesmente ele vai precisar de mais um tempo de estágio para amadurecer e assim obter oportunidades melhores, talvez não seja o que ele queira ouvir.

Ao passo que os que entendem que primeiro precisam dominar as ferramentas para alcançar as melhores oportunidades vão ter uma vantagem estratégica, mesmo que isso signifique abdicar de algumas coisas e ter um pouco mais de paciência. Prepare-se para estudar no longo prazo! O importante é aproveitar cada passo, cada estágio, cada projeto. O crescimento será conseqüência de um bom trabalho.

Conclusão

Lógico que o assunto é extenso e podem ser inseridos muitos outros itens. Não foi meu objetivo aqui cobrir todo o tema, mas simplesmente orientar os novos colegas de área a alcançarem seus objetivos e, enfim, ao término do curso com o “canudo” nas mãos, não apenas contemplar um pedaço de papel, mas a finalização de um ciclo e início de outro com muitas oportunidades.

Muito mais que comprar um objeto e ter expectativas, concluir uma faculdade é realização de uma vida e motivo de orgulho, principalmente para a família. Fechar esse ciclo com a possibilidade de sucesso é um sonho.

 André Marinho

Consultor de tecnologia da informação e professor, há 20 anos atua no setor de T.I passando por diversas atividades: manutenção de equipamentos, infraestrutura e desenvolvimento de sistemas.

Fonte: http://www.profissionaisti.com.br/2016/01/3-erros-a-serem-evitados-ao-ingressar-numa-faculdade-de-ti/