Carregando Pesquisa
YouTube Facebook Twitter
Apostilas Artigos Tutoriais Aulas Blog Ferramentas de Rede Fórum Downloads Colabore Fale Conosco
» artigos
:: O Retrofitting nas Redes de Computadores

José Mauricio Santos Pinheiro em 03/08/2004

 

Os projetos de melhoria de uma rede de computadores na maioria das vezes envolvem sistemas críticos e de alta tecnologia que requerem profissionais treinados e habilitados para assegurar o êxito do processo de mudança. Essa exigência por profissionais capacitados é fundamentada na necessidade do cumprimento de cronogramas calcados no tempo e dentro de um orçamento predefinido. As equipes responsáveis pelo controle do projeto também devem ter uma compreensão perfeita do ambiente de negócio dos usuários, dos seus objetivos de melhoria e das tecnologias de redes que poderão ser utilizadas.

Retrofit

A técnica de retrofit, também conhecida como reforma ou modernização, é muitas vezes a solução encontrada pelos usuários que não dispõe de grandes orçamentos, mas que desejam proporcionar uma "sobrevida" para suas redes de comunicação. Essa técnica propõe pequenas reformas que podem ser programadas de tal forma que os sistemas não precisem parar, ou seja, os usuários continuam utilizando a rede normalmente enquanto os trabalhos de melhoria são realizados. Neste caso, procura-se preservar ao máximo a infra-estrutura original e são feitas adaptações com as tecnologias disponíveis, com o objetivo de aumentar a eficiência dessa rede.

O conceito de retrofit surgiu no final dos anos 90, na Europa e nos Estados Unidos, sendo originalmente aplicado na reforma de velhas edificações a fim de aumentar a sua vida útil, através da incorporação de melhorias técnicas e da utilização de novos materiais e processos. Da mesma forma, uma rede de computadores que possua equipamentos com tecnologia ultrapassada pode ser atualizada tecnologicamente através da aplicação das técnicas de modernização ou "retrofitting", ou seja, a reformulação da infra-estrutura e a atualização tecnológica dos seus elementos componentes.

Quando usar

É necessário avaliar três condições antes de se optar pela técnica do retrofitting: a primeira condição é avaliar cuidadosamente a viabilidade dessa alternativa para a redução dos custos do projeto; a segunda condição é determinar como será viabilizado o investimento; a terceira condição é estabelecer como a rede será administrada durante e após a implantação das melhorias.

A identificação e a descrição apropriadas de cada tarefa requeridas pelo projeto são cruciais para a conclusão bem sucedida de todo o processo de retrofitting. Torna-se necessário então, adotar uma metodologia específica que estabeleça prioridades às diversas tarefas requeridas para executar o projeto. A metodologia deve identificar todas as exigências e assegurar-se que as tarefas importantes ou os pontos de verificação não serão omitidos no processo de melhoria da rede.

Figura 1 - Exemplo de fluxo para avaliar a opção pelo retrofitting

A partir de um estudo de caso, é gerada uma proposta a qual aponta os serviços e modificações necessárias na infra-estrutura e que também irá justificar o custo para tais atividades em relação às implicações da aquisição de uma rede nova. Manter um projeto dentro do orçamento e assegurar que os custos estão explicados é outra exigência para um processo de retrofitting bem sucedido.

No retrofitting ocorre basicamente a substituição do hardware ultrapassado por outro mais moderno e confiável (troca de placas, acessórios, de instalação, etc). Assim os procedimentos de melhoria/modificação envolvem itens críticos que dependem de um planejamento e preparação apropriados, obrigando a revisão e exame das plantas existentes para assegurar a realização dos objetivos de melhoria. Convém ressaltar que esta revisão pode freqüentemente resultar em economias significativas para a execução do projeto ao levantar novas alternativas para o processo.

De um modo geral, um trabalho de retrofitting consiste nas seguintes etapas:

  • Estudo da adaptabilidade dos equipamentos existentes ao novo projeto da rede;

  • Seleção de equipamentos de rede adequados;

  • Instalação dos novos equipamentos;

  • Testes funcionais;

  • Documentação do novo projeto.

Vantagens

A maior motivação para a realização de um processo de retrofitting é, sem dúvida, a redução de custos. Além do baixo investimento comparado à substituição completa da infra-estrutura e dos equipamentos instalados, está a possibilidade de escalonar este investimento no tempo. Isto significa que os equipamentos não precisam ser trocados de forma simultânea, já que há a possibilidade de se realizar um projeto prevendo a substituição em etapas, de acordo com um plano de investimentos.

O investimento em um projeto de reforma depende do projeto e na tecnologia incorporada, mas o custo final do retrofit busca sempre ser inferior ao de uma rede nova. Não é possível determinar o valor exato dessa redução, pois depende da situação atual da rede e o que se deseja obter, mas essa redução de custos pode ficar entre 10% e 30%.

Outras vantagens do processo de retrofit são o aumento na produtividade dos usuários pela redução dos períodos de inatividade (indisponibilidade) da rede devido a problemas de conexões físicas, falhas no cabeamento e nos componentes ativos, temos a redução nos riscos de segurança, garantia de reposição mais rápida de componentes defeituosos, maior integração na rede, alternativas para novos investimentos, entre outras.

Conclusão

A necessidade de modernização das redes de computadores é cada vez maior, uma vez que os equipamentos, infra-estrutura e sistemas evoluem constantemente.

A grande mudança na aplicação do retrofitting está na evolução das tecnologias, a fim de atender à necessidade de redução de custos e melhoria dos resultados. A partir de um projeto bem elaborado, um planejamento adequado e com profissionais habilitados, é possível manter uma rede de computadores tecnologicamente atualizada.

O retrofitting de uma rede torna-se uma alternativa bastante viável para empresas que desejam manter sua rede de computadores atualizada sem investir alto na compra de uma nova infra-estrutura.

José Maurício Santos Pinheiro
Professor Universitário, Projetista e Gestor de Redes, 
membro da BICSI, Aureside e IEC.

Autor dos livros:
 
· Guia Completo de Cabeamento de Redes ·
· Cabeamento Óptico ·
· Infraestrutura Elétrica para Redes de Computadores
·
· Biometria nos Sistemas Computacionais - Você é a Senha ·

E-mail: jm.pinheiro@projetoderedes.com.br

© www.projetoderedes.com.br - Termos e Condições de Uso