Carregando Pesquisa
YouTube Facebook Twitter
Apostilas Artigos Tutoriais Aulas Blog Ferramentas de Rede Fórum Downloads Colabore Fale Conosco
» artigos
:: GAN - Global Area Network

José Mauricio Santos Pinheiro em 18/07/2004

 

Os usuários de redes de computadores por diversas vezes necessitam trabalhar em locais onde muitas vezes não estão disponíveis serviços básicos de telecomunicações para que possam realizar suas atividades profissionais. Com o objetivo de suprir essa necessidade, o Inmarsat criou um sistema chamado de Global Area Network (GAN), conhecido também como Inmarsat M4, que provê a comunicação de voz e dados até 64Kbps. O Inmarsat é um grupo que foi criado em 1979, na Inglaterra e sua tarefa inicial foi desenvolver a comunicação global via satélite oferecendo serviços de voz e dados para diversas aplicações.

Na realidade, uma Global Area Network (Rede de Área Global) é uma implementação de uma WAN com uma cobertura mundial e capaz de conectar sistemas em rede situados em diferentes países e continentes. Esse sistema oferece a possibilidade da conexão de um usuário em qualquer lugar do mundo de uma forma abrangente através de terminais móveis.

GAN também é a designação do serviço de comunicação móvel global de alta velocidade. Um terminal GAN permite atualmente não só a comunicação de voz (ligações telefônicas), mas também a transmissão de fax, dados e multimídia, o envio de imagens, a troca de e-mails e navegação pela Internet com velocidades de 56Kbps até 64Kbps. Por exemplo, no caso de uma ligação telefônica, esta é realizada via terminal GAN, que funciona como uma espécie de telefone móvel. No caso de um acesso a Internet, esse terminal deve ser conectado ao computador do usuário.

Dentre os serviços estão àqueles oferecidos aos usuários de redes que necessitam de comunicação em locais não atendidos pelas redes de telecomunicações convencionais, utilizando para esse fim uma conexão via satélite. O sistema de satélites Inmarsat M4 fornece um serviço ISDN Móvel, garantindo a velocidade de transmissão pelo uso de um canal dedicado. Este tipo de solução permite estabelecer conexões LAN/WAN entre o usuário situado em um ponto remoto e sua base de dados em um ponto fixo, garantindo a transmissão de e-mails, possibilitando e-commerce, acesso a Internet/Intranet, videoconferência, transferências de arquivos, aplicações em telemedicina e transmissão de voz entre outros.

Com uma chamada originada de um terminal móvel GAN, a conexão é estabelecida através de um dos satélites disponíveis com uma estação terrena fixa. Uma central de comutação desta estação, ao identificar o código do país, encaminha essa chamada para a central de operação situada no país de destino, podendo utilizar um circuito terrestre dedicado internacional que, por sua vez, faz o roteamento da chamada para a rede de destino.

No sentido inverso, uma chamada originada a partir de uma rede fixa, ao se identificar o número GAN chamado, é encaminhada por uma central local para a central de operação do serviço. A chamada é então roteada para o circuito internacional com a estação fixa de operação do serviço e de lá é estabelecida uma conexão via satélite com o terminal móvel GAN de destino.

Convém observar que a solução GAN permite uma conexão discada em 64Kbps, assim o serviço fim-a-fim provido pela operadora de telefonia local deve garantir que o usuário disponha de conexão que suporte esta velocidade entre o ponto móvel de entrada do serviço e o ponto fixo desejado (servidor onde estarão conectados os demais usuários).

Um outro serviço, conhecido como BGAN (Broadband Global Area Network), permite a conexão entre canais GPRS (General Packet Radio Service), e serviços celulares e de pacotes baseados em IP, GSM, UMTS (Universal Mobile Telecommunication System) e a família 3G (terceira geração) dos padrões de comunicação sem fio, a uma taxa de transferência de até 432Kbps.

Com apresentado, através dos serviços baseados em GAN, é possível prover uma rede de computadores com um sistema de comunicação móvel capaz de distribuir informações em âmbito mundial a partir de qualquer ponto da Terra (exceto nos pólos), mesmo em lugares onde não há quaisquer serviços de telecomunicações, utilizando para isto um sistema baseado em comunicação via satélite.

José Maurício Santos Pinheiro
Professor Universitário, Projetista e Gestor de Redes, 
membro da BICSI, Aureside e IEC.

Autor dos livros:
 
· Guia Completo de Cabeamento de Redes ·
· Cabeamento Óptico ·
· Infraestrutura Elétrica para Redes de Computadores
·
· Biometria nos Sistemas Computacionais - Você é a Senha ·

E-mail: jm.pinheiro@projetoderedes.com.br

© www.projetoderedes.com.br - Termos e Condições de Uso