Carregando Pesquisa
Facebook Twitter
Apostilas Artigos Tutoriais Aulas Blog Ferramentas de Rede Fórum Downloads Colabore Fale Conosco
» artigos
:: Caracterizando a Rede Existente para um Novo Projeto

José Mauricio Santos Pinheiro em 03/07/2006

 

Para implementar um novo projeto de rede de computadores é necessário compreender e caracterizar com precisão a rede existente, traçando um perfil das suas necessidades atuais e futuras. Para tanto é importante analisar todas as informações disponíveis sob dois aspectos distintos: primeiro, avaliar os dados não-técnicos relacionados com os objetivos, metas e restrições impostas ao projeto pelo seu solicitante. Tais informações são essenciais para a perfeita compreensão das tendências de crescimento esperado para o negócio, da estrutura da empresa e as políticas que poderão afetar o andamento do projeto. O segundo aspecto é avaliar as informações técnicas disponíveis sobre a situação atual da rede, fazendo uma distinção entre as informações administrativas e os dados técnicos.

Analisando o perfil do cliente

Como o objetivo é compreender a situação da rede existente, todas as informações coletadas junto ao cliente (administrativas e técnicas) devem ser devidamente analisadas para verificar uma possível relação entre elas visando encontrar quaisquer possíveis relacionamentos com problemas.

Avaliar e compreender essas informações sobre o perfil do solicitante ajuda a caracterizar o tipo do negócio e as possíveis restrições, além de permitir um conhecimento inicial das necessidades de melhoria da rede atual. Os dados levantados, referentes ao perfil do cliente, auxiliam a determinar alguns pontos importantes que guiarão a execução do projeto da nova rede.

Determinar o tipo de negócio do cliente e quais são seus objetivos em termos de crescimento futuro a curto, médio e longo prazo ajuda a definir as necessidades de escalabilidade da rede, além de auxiliar no entendimento do retorno do investimento que o cliente pretende obter com as melhorias.

Considerando que um projeto de rede de computadores normalmente se assemelha com a estrutura corporativa do cliente e deve atender a esta, um organograma ou outro documento similar será de grande importância para a compreensão da estrutura atual. Neste caso, as informações mais relevantes dizem respeito à hierarquia e a forma como as áreas da empresa interagem umas com as outras.

Outra informação importante diz respeito à estrutura geográfica, ou seja, como a empresa está distribuída geograficamente e a influência dessa disposição sobre a estrutura da rede corporativa. Essa avaliação auxilia na caracterização das principais comunidades de usuários e localização dos aplicativos de rede.

Implicações funcionais

O projeto da nova rede deve atender com flexibilidade as necessidades atuais dos usuários, bem como suportar o crescimento e expansão dos negócios, o que pode implicar na necessidade de treinamento de uma equipe de suporte maior no futuro. Por esse motivo é importante levantar junto aos usuários como as mudanças na rede irão afeta-los em termos operacionais e departamentais e quantos especialistas em redes existem na equipe atual. De posse dessas informações ficará mais fácil determinar como o projeto e a implementação de uma nova rede afetarão as pessoas e processos na empresa, ou seja, até que ponto o novo projeto poderá acarretar mudanças nos cargos e departamentos (até mesmo a extinção de alguns) e se haverá a necessidade de aumentar a equipe de suporte para a nova rede.

As doze etapas

Antes de iniciar um novo projeto de rede é necessário compreender qual a situação da rede existente e qual será o impacto do projeto sobre esse ambiente. Para descrever com maior precisão a situação da rede atual pode-se adotar uma lista que inclui doze etapas que facilitam a análise da rede existente. São elas:

Caracterização das aplicações do cliente – esta etapa envolve a criação de uma tabela detalhada que tem como objetivo documentar todas as aplicações em uso na rede atual do cliente. Uma análise adequada das necessidades apresentadas pelo cliente pode ajudar na delimitação das aplicações que necessitam ser documentadas. Essa tabela deve apresentar alguns campos essenciais como o nome da aplicação, o tipo da aplicação (banco de dados, internet, e-mail, etc), número de usuários que a utilizam, número de hosts ou servidores para cada aplicação, entre outros.

Caracterização dos protocolos de rede – a etapa de documentação dos protocolos de rede pode ser conduzida de forma semelhante à coleta de informações sobre as aplicações. Para tanto uma outra tabela deve ser criada incluindo informações sobre os protocolos em execução na rede, o tipo de protocolo (roteamento, LAN, de servidor, etc), número de usuários, número de hosts ou servidores que os utilizam, entre outros.

Documentação da rede atual – inclui o levantamento de toda a documentação existente sobre a rede atual, os esquemas de endereçamento (se houver) e a documentação referente a rede (diagramas, arquitetura, fluxo de dados, etc).

Identificação dos possíveis gargalos – nessa etapa deve-se procurar identificar os enlaces ou segmentos que estejam parcial ou totalmente utilizados, em virtude do tráfego de broadcast / multicast que passa por eles, ou que seriam esgotados se um tráfego adicional fosse introduzido por uma nova aplicação.

Identificação das restrições do projeto – é necessário documentar e identificar os dados não-técnicos do cliente, pois essas informações têm algum impacto no processo de construção e implementação do projeto de rede. Deve-se conhecer o negócio e a estrutura da empresa, analisar seu fluxo de informações e identificar as operações mais importantes, as políticas referentes aos fornecedores, soluções adotadas, protocolos, plataformas operacionais, concorrentes, experiência técnica do cliente, etc.

Caracterização da disponibilidade da rede existente – as informações anteriormente coletadas servem como parâmetro para determinar o custo relacionado ao tempo em que a rede fica inoperante e, conseqüentemente, servirão ao planejamento e implementação do projeto da nova rede. Nesse momento é importante reconhecer quais os segmentos mais importantes da rede, se existe alguma documentação sobre a disponibilidade dos segmentos da rede atual relatando os tipos de falhas, as causas, o tempo de inatividade, qual o custo dessa inatividade por hora, por departamento e qual o custo de uma falha na rede, considerando a rede corporativa.

Caracterização do desempenho da rede – significa determinar os tempos de resposta entre os hosts, dispositivos e aplicações utilizadas. Essas informações podem ser colocadas na forma de tabelas para análise e futuras comparações.

Confiabilidade da rede existente – a análise da confiabilidade da rede existente deve ser cuidadosamente planejada a fim de obter dados confiáveis sobre o tráfego da rede atual. Nessa fase é interessante usar um analisador de protocolo ou outra ferramenta de gerenciamento para avaliar a confiabilidade da rede. Entre as informações levantadas está o total de bytes trafegados, número de quadros de broadcast / multicast, número de erros de CRC, entre outras.

Utilização da rede existente – utilizando uma ferramenta de gerenciamento é possível caracterizar a utilização da rede pela coleta de dados para cada protocolo e de cada segmento. Essa análise é importante no momento de determinar as causas de tráfego excessivo em determinados segmentos e as restrições de largura de banda.

Caracterização dos roteadores principais – a obtenção de informações estatísticas dos roteadores da rede existente pode ser feita com facilidade utilizando os comandos disponíveis nos próprios roteadores e podem ser feitos a qualquer momento durante a operação da rede.

Caracterização das ferramentas de gerenciamento – é necessário documentar as ferramentas de gerenciamento em uso na rede atual (ou sua inexistência), bem como as ferramentas introduzidas para coletar as informações para o projeto da nova rede.

Resumo do estado da rede existente – uma lista de verificação com as diretrizes referentes ao estado da rede atual pode ser muito útil para avaliar suas condições operacionais. O conteúdo desta lista deve ser ajustado conforme o ambiente em que se encontra a rede. Nesta lista devem constar informações tais como o item verificado, sua condição atual, os resultados esperados, a razão do desvio, entre outros.

Conclusão

A avaliação dos objetivos comerciais do cliente e o conhecimento da sua rede constituem-se na primeira etapa a ser cumprida para a elaboração do projeto de uma nova rede de computadores. Por esse motivo é necessário coletar, organizar e documentar todas as informações obtidas, o que permitirá uma abordagem ampla que facilitará a identificação das necessidades de desempenho e os problemas que a nova rede de computadores deverá solucionar.

José Maurício Santos Pinheiro
Professor Universitário, Projetista e Gestor de Redes, 
membro da BICSI, Aureside e IEC.

Autor dos livros:
 
· Guia Completo de Cabeamento de Redes ·
· Cabeamento Óptico ·
· Infraestrutura Elétrica para Redes de Computadores
·
· Biometria nos Sistemas Computacionais - Você é a Senha ·

E-mail: jm.pinheiro@projetoderedes.com.br

© www.projetoderedes.com.br - Termos e Condições de Uso